sábado, 23 de outubro de 2010

Ao poeta de sol e mar

dedicada ao poeta Artur Gomes

Em teu (dis)curso rumo ao mar
contei quatro covasnas curvas
másculas das tuas costas

Na elegância de teus passos
impregnados de sobras de mundo
Encontro afluente entre Rio(s),
mares e Goytacazes

O sorriso dos faróis verdes do teu olhar
A mata cerrada de sua barba
de oceânico mapa
Tântrico calar sob as luzes de tua fala.

Morena silhueta poética
sob o sol, diluindo ventos
indo de encontro à vida
- a plenos pulmões -
em musicalidade e alquimia.

Jaqueline Serávia

Nenhum comentário: