quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Jura Secreta 87

ainda que fosse faca na saliva
ao invés do couro cru a carne viva
além da mesa posta
para as tuas mil perguntas
não tenho a mínima reposta
fosse setembro quase findo
nada que pensei da primavera
outubro uidobro
e essa lua navalha
como uma faca na carne
e teus dentes vampira
roçando meu pescoço
ainda que fosse noite
e tuas mãos entre meus dedos
línguas dizendo estrelas
águas correndo o corpo
minha palavra em tuas coxas
este poema em tua boca
flores talhadas no deserto
já fosse sol ao meio dia
com tuas dores do parto
pousado em ti o meu cansaço

Um comentário:

Úrsula Avner disse...

Oi Artur, vim conhecer seu espaço e agradecer o carinho de sua visita e interesse em seguir o blog. Nos "falaremos" oportunamente. Grande abraço.