segunda-feira, 13 de julho de 2009



jaciara essa arara minha minha arara ainda não repara o que tenho dentro dela os olhos na entrada da janela a porta de dentro do infinito o outro lado de fora onde o sol se espalha a clara luz dourada cor dos teus cabelos assim como uma nuvem ou pluma espuma na areia que se espraia meu sangue pulsando em tua veia a veia do teu sentido em meu olfato petróleo pimenta nas iguarias do meu prato e eu que só conheço teu retrato mas o fato é que teus olhos me incendeia.

Alucinações InterpoÉticas

o que é que mora
em tua boca Bia
um Deus um anjo
ou muitos dentes claros
como os olhos do diabo
e uma estrela como guia
?

o que é que arde
em tua boca Bia
azeite sal pimenta e alho
résteas de cebola
carne crua do k ralho
um cheiro azedo de cozinha
tua boca é como a minha
?

o que é que pulsa
em tua boca Bia
mar de eternas ondas
que covardes não navegam
rios de águas sujas
onde os peixes se apagam
?

ou um fogo
cada vez mais Dante
como este em minha boca
de poeta/delirante
nesta noite cada vez mais dia
em que acendo os meus infernos
em tua boca Bia
?

artur gomes
http://multiartecultura.blogspot.com



Um comentário:

Elenilson Nascimento disse...

Irmao, emocionante o recado do Hélio Leites. Faz um grande favor pra mim, pergunta a ele se ele gostaria de participar do nosso livro?????