quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Jura Secreta 71



por enquanto vou te amar em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa Lua mansa fosse faca
a afiar os versos que inda não fiz
ou as brigas de amor que nunca quis

mesmo quando outra direção
aponta em baixo do nariz
e o projeto é mais concreto
que a argamassa do abstrato
por enquanto vou te amar assim
admirando teu ratrato
enquanto penso minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

Artur Gomes
http://peoticasfulinaimicas.blogspot.com





Um comentário:

Márcia Sanchez Luz disse...

Artur, acabei de ver o vídeo - showzaaaaaaaaaaaaaaaaço, poetamigo!
E que coisa mais linda este poema!!
Olha só:

"por enquanto vou te amar em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais"

É estranho como os preceitos, às vezes tão duramente impostos a nós, transformam em pecado o que nos é tão puro.

Obrigada pela leitura.

Um beijo em seu coração,

Márcia