terça-feira, 1 de julho de 2008

Jura secreta 36

o amor é um rio vermelho de sangue
os caranguejos desovam nos mangues
os rios deságuam no mar

o Mário é um poeta solitário
um dia vai pousar em teu aquário
e no outro vai nadar em pleno ar

o amor se esgota pelos mangues
caranguejos não têm veias nem sangue
os rios se evaporam pelo ar

o Mário é um poeta centenário
um dia se esfinge solitário
e no outro se transborda pelo mar

Nenhum comentário: