terça-feira, 1 de julho de 2008

Jura secreta 32

não sei se o teu nome
um dia será alimento
ou líquido
para minha sede ou fome

mas quero-o escorrendo pelos poros
em todas partes do corpo
onde quer que ele caiba
e quero que ainda saiba
não tenho papas na língua
e por onde quer que alcance
lá estarei lavando o sangue
em poesia

com as mãos nas tuas pernas
com a língua em tuas coxas
e as outras partes do corpo
numa total sinestesia

linguagem corporal é grafia
desbravamento secreto
de línguas dentes e dedos
se não der pra matar a fome

é que o amor só se alimenta em segredo

Nenhum comentário: