sábado, 28 de junho de 2008

travessia

de Almada
vou atravessar o tejo

barco à vela
Portugal afora

em Lisboa
vou compor um fado

e cantar no Porto
feito um blues rasgado

de amor pela senhora
que me espera em paz
e todo vinho
que eu beber agora

será como beijo
que eu guardei inteiro

como um marinheiro
que retorna ao cais

Nenhum comentário: