sábado, 28 de junho de 2008

cosmogonia

parte do meu corpo fauna
extensão da minha mente flora
fragmentos de um macro cósmico
de onde vim e vou
se é estar por vir
ou ser o que já sou
este sangue índico
este afro falo
esta carnadura
no que penso e calo
no que falo e penso
sendo criatura
desse pulsar suspenso
deste tudo de onde flui
desejo sonho fala
terra fogo água ar
onde em mim delira
pulsa grita clama
tudo quer voar
meu ambiente inteiro
explode intenso drama
por não ter nas mãos
condições pra suportar

Nenhum comentário: